Indenização de $10 Milhões contra jogador Mike Postle

A saga de trapaça de Mike Postle viralizou nas redes sociais e está dando o que falar . As alegações de trapaça de um jogador profissional da Califórnia já são consideradas o maior caso de fraude no poker.

Mike Postle (esq) falando com a imprensa sobre acusações

Ele é acusado de ter “roubado” uma quantia de mais de seis dígitos no Stones Gambling Hall, uma transmissão ao vivo em um clube de poker na Califórnia.

O mais incrível é que quem iniciou a investigação foram nomes de peso no poker, como Doug Polk, Joe Ingram e Veronica Brill ( a primeira a falar publicamente sobre a suspeita de Mike).

Joe Ingram (esq.) e Doug Polk (dir.) , responsáveis por iniciar a “investigar” Postle

**Se ainda não viu, leia a matéria “Escândalo envolvendo trapaça em transmissões de poker” para entender melhor.

Nessa terça-feira surgiram novidades no caso.

Uma indenização de $10 Milhões

Foi iniciado contra Mike Postle, Stones Gambling Hall, Justin Kuraitis (diretor de torneios da Stone), e mais algumas pessoas que possam estar envolvidas no esquema. Eles podem enfrentar um processo de $10 Milhões de acordo com declaração feita pelo advogado dos demandantes, Mac VerStanding.

São nomeados 25 demandantes que se sentiram lesados por Postle na Califórnia.Alguns nomes são o de Veronica Brill, a primeira a acusar Mike, o criador de conteúdos de poker Jeff “Boski” Sluzinski e James Burton. Os $10 Milhões serão divididos entre as vítimas da frauda na Stones de acordo com o número de minutos que cada um passou ali jogando no período de 1 de janeiro de 2019 até o dia de hoje.

Caso a sentença seja máxima, a indenização pode ser de $20 Milhões.

Sendo assim Mike teria que pagar $10 Milhões e a Stones pagaria a outra metade.

“Estou orgulhoso de representar esse caso e mal posso esperar

para resolver isso no tribunal.” Disse o advogado das vítimas, VerStanding.

É gente, essa parada não vai ser fácil não viu?

O Processo

Nove acusações são feitas no processo entre elas, extorsão, fraude, representação negligenciada, negligência e enriquecimento injusto.

A maior parte do processo se baseia em fatos e especulações de uma investigação informal feita pela internet por nomes como Doug Polk e Joe Ingram. Em suas redes sociais eles publicaram vídeos com análises de todas as mãos jogados por Postle nas transmissões da Stones. Doug Polk também publicou em seu canal do Youtube um compilado de todas as evidências e teorias conspiratórias que possam envolver o caso. Incluindo o fato de que ele usou o celular e alguém da organização do programa para ter acesso as cartas dos adversários.

Mesmo sendo meramente especulativos, a análise das mãos de Postle feita por Joe Ingram vai ser de interesse no tribunal.

Parceiro misterioso

Ainda tem uma questão que não foi inteiramente compreendida pelos nossos queridos investigadores da comunidade do poker. Para Mike conseguir acesso às cartas dos adversários pelo celular ele precisaria de alguém na sala de transmissão que tivesse acesso às cartas reveladas. Quem seria ?

Tem algumas poucas sessões, muito poucas, em que Mike não ganha nas transmissões da Stones. A explicação criada seria de que nesses determinados dias seu “parceiro” não estaria trabalhando. Á partir daí pretende-se descobrir quem seria ele.

O Diretor de Torneios da Stone

Kuraitis, diretor da Stones, não é acusado de participar ativamente no esquema, não enfrentando extorsão como um de seus delitos. Entretanto por ser o responsável da fiscalização, e por não ter investigado seriamente o caso quando lhe foi apresentado inicialmente por Veronica Brill, ele vai ser acusado de negligência e fraude. 

Em tweet ele afirmou que todas as acusações eram completamente fabricadas e falsas. De acordo com o processo, essas afirmações prejudicaram inicialmente o nome de Veronica Brill.

Segurança duvidosa

Uma das maiores acusações contra a Stones é a de falta de segurança em relação aos mecanismos da transmissão. Uma sala que contém a informação das cartas de todos os jogadores em tempo real deveria ser cercada de cuidados. Ao invés disso, na Stones permitia o acesso de várias pessoas. E ainda não proibia o uso de celulares por quem estivesse lá.

Será que as evidências serão o suficiente?

As partes que buscam justiça no processo admitem que não tem todas as explicações e fatos. As evidências por enquanto são circunstanciais, sem provas concretas. Eles esperam que com as autoridades tudo possa ser esclarecido.

Felizmente, um processo civil nos EUA requer apenas “preponderância de evidências”. Isso significa mostrarem ter mais de 50% de chance de as acusações serem verdade.

**Se ainda não viu, leia a matéria “Escândalo envolvendo trapaça em transmissões de poker” para entender melhor.

*** Confira também: Cavalito leva mais de $34.000 em reta de terça

Por Camila Avelar

Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close