Entrevista com Kadu Campion, campeão do Main Event do WSOP Rio

Em conversa com Kadu ele conta sobre as recentes vitórias no WSOP Rio, sobre carreira e família

Mais Poker – Conta um pouco sobre a sua história no Poker. Como começou?

Kadu –  Desde criança jogava poker entre família. Na época era o de cinco cartas fechadas. Quando comecei a trabalhar tinha uma agência, agência de publicidade e fazia a parte de criação.

    Há 15 anos atrás fui em um clube de poker pela primeira vez, o Paradise no Itaim Bibi. E lá comecei a jogar o Texas o Hold Em bem baratinho, fiquei em 3º lugar nesse dia. A partir daí ia uma vez por semana no clube como um hobby. Depois comecei a jogar cash bem barato, até porque na época eu ganhava pouco. No Zahle, antigo clube de poker em São Paulo, aprendi o Omaha, nessa época entrava em jogos um pouco mais caros.

Mais Poker – E como passou de hobby a profissão?

Kadu – Eu passei a frequentar mais torneios durante a semana, juntava as rendas da agência e do poker. Até que chegou um ponto em que a rotina de jogar até tarde não dava mais para conciliar com o meu trabalho. Como eu estava ganhando muito mais no poker eu escolhi fazer dele minha renda principal.

Mais Poker – Você estudava?

Kadu – Nessa época não. O aprendizado era mais na prática mesmo. Horas e horas de mesa e bala!

Mais poker – Como foi essa decisão para você?  De se tornar profissional?

Kadu –  A decisão foi quando eu acabei brigando com meu sócio na agência, foi por causa da esposa dele, que era o cão. Meu sócio era um amor mais a mulher dele era o cão! Ele vai ler isso, mas vou falar, ela era o cão mesmo, pode colocar aí (risos). Aí percebemos que era hora de seguir um caminho diferente!

Mais Poker – Muitas coisas que temos como hobby e vira profissão tem uma perda do prazer, pela pressão e tudo mais. Isso aconteceu com você?

Não,eu venho com o maior prazer, acordo sempre com o pensamento ” Nossa, tenho torneio hoje, que massa!”. Eu me divirto sempre. Jogo tomando cerveja, conversando com todo mundo. Sou muito tranquilo com isso. Não vejo como uma obrigação.

Mais Poker – Você é sócio do Side. E você se enxerga mais como empreendedor ou jogador?

Kadu – Jogador com certeza. Como sócio do clube tem que estar sempre jogando, alimentando o jogo pelo negócio. Um anda junto com o outro.

Mais Poker- E as down swings (momentos de resultados ruins) ?

Kadu – Meu down swing foi esse ano no caso. Ano passado deu bom demais, mas esses sete meses do ano estava foda. E meu custo é alto, tenho 5 filhos né? E tive o investimento de abrir um clube de poker, o Side Clube. Até o investimento se pagar demora. Juntando com as perdas foi puxado.

Mais Poker –  Como você lida com esses momentos de perda? Afeta seu jogo?

Kadu – Não, eu caio e vou para o próximo. Sou bem tranquilo com isso, tem que confiar em si e bola para a frente. Estar constantemente correndo atrás. Tomando a melhor decisão.

Mais poker- Como descreve essa jornada que foi o WSOP Rio ?

Kadu – No dia de ir para o Rio, a Gol cancelou o voo de última hora. Estava programado para chegar meio dia, e o meu primeiro torneio começava às 13:00. Só consegui chegar lá as 15:30. Estava virado por causa do trabalho.

    Entrei atrasado no Omaha. Como são menos jogadores, tenho mais chances nesse torneio. Fui mais preparado para ganhar esse do que o Main Event. No final das contas apesar do imprevisto consegui chegar em terceiro no Omaha. Já estava muito feliz, para mim o Rio já estava resolvido.

    Quando formou a mesa final do Main eu era o líder em fichas. Mas no heads up meu oponente tinha o dobro de fichas que eu. Acabou que deu tudo certo no final.

Kadu comemorando sua vitória no Side Clube Itaim com os troféus do WSOP Rio.

Mais Poker – Alguma situação marcante no evento principal da WSOP Rio ? Fora a vitória em si.

Kadu – Agora no Main, quando chegou em três participantes tentamos fazer um acordo. O chip leader não aceitou. Era super gente boa e tal, mas não era interessante na situação dele. E tudo bem! Tem que ser bom para todos os lados.

    Quando empatei o heads up a diferença de premiação entre o 1º e 2º lugar era de R$250.000. Eu propus um acordo de jogar por R$150.000 , cada um de nós garantiria mais R$50.000.

     Mas nesse momento ele estava com todas as fichas de valor menores e eu estava com todas as grandes. Ele é mais do online então não dava para ele saber de cara ali quanto cada um tinha exatamente. Eu por ser do live já era mais fácil contar rápido.

  Nessa hora ele estava contando as fichas, mas como o WSOP não pausa o jogo nós continuamos a mão.  Aí ele olhou para as cartas que tinha e disse ” Vamos jogar por R$100.000 ao invés de R$150.000 de diferença?” E eu aceitei.

Logo depois ele deu raise, só que ninguém dá outra bet e melhora o acordo quando está gigante. Eu já sabia que ele não estava tão bem na mão. Eu voltei nele e ele largou o que tinha.

Mais Poker – Esse foi seu maior resultado?

Kadu – Sim, com certeza. Foi o evento mais marcante!

Mais Poker – Qual seu próximo destino?

Kadu – Vou jogar a Pokerfest no Caribe

Mais Poker – E seus filhos jogam? O que acharia se algum quisesse seguir o poker como carreira?

Kadu – Sim, o mais velho tem 13 anos e jogamos direto em casa. Apoio as escolhas deles caso queiram ser profissionais no futuro.

Mais Poker – Como conciliar o poker com os 5 filhos? (risos)

Kadu – Ah, nós vemos bastante. Quando não estou no poker passamos bastante tempo juntos!

Mais Poker – Muito obrigada pelo seu tempo e por toda a entrevista Kadu. Parabéns pelo resultado merecido!

Para acompanhar mais de perto essa história siga Kadu no Instagram pelo link: Kadu Campion Rozzi

Por Camila Avelar

Show More

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close